Manchetes

CON visita o Grupamento de Fuzileiros Navais, no Haiti

Posted by Rede Notícias | domingo, 28 de setembro de 2014 | Posted in , , , , ,

AE Guerra Minustah2
Almirante-de-Esquadra Wilson Barbosa Guerra, Comandante de Operações Navais ao centro.
No período de 16 a 19 de setembro, o Grupamento de Fuzileiros Navais do Haiti (GptOpFuzNav-Haiti) recebeu a visita do Almirante-de-Esquadra Wilson Barbosa Guerra, Comandante de Operações Navais, acompanhado pelo Vice-Almirante (FN) Washington Gomes da Luz Filho, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra.
Nesse período, a comitiva participou de audiências privadas com o Force Commander, General de Divisão José Luiz Jaborandy Júnior, do Exército Brasileiro; com o Embaixador do Brasil no Haiti, José Luiz Machado e Costa; e com a Special Representative of Secretary General para a MINUSTAH (Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti), Sandra Honoré; além de ter percorrido e sobrevoado toda a área de operações do GptOpFuzNav-HAITI e do Batalhão Brasileiro de Força de Paz.
FONTE: Nomar online via Defesa Aérea e Naval.

Relportagem: Modernização das Forças Armadas Brasileiras.

Posted by Rede Notícias | | Posted in , ,

O Domingo Espetacular revelou, neste domingo (29), as novas armas de guerra das Forças Armadas brasileiras.
Para ampliar a defesa dos mares, o Brasil fez um acordo. Desde dois 2008, profissionais da França ensinam engenheiros brasileiros a montar submarinos. Os brasileiros vão construir por conta própria a embarcação, com tecnologia nuclear.
Já a Força Aérea acaba de comprar, por mais de R$ 10 bilhões, 36 caças desenvolvidos pela Suécia. São os Gripen NG, capazes de voar a 2.400 km/h, duas vezes a velocidade do som.

Por terra, chegou a vez do guarani, o novo blindado do Exército. Ele já foi utilizado em missões na fronteira do Paraná, perto da usina de Itaipu e na pacificação do Complexo da Maré.

EUA querem engajamento do Brasil contra ‘Estado Islâmico’

Posted by Rede Notícias | | Posted in , ,

ap712981368289
O general Martin Dempsey, chefe do Estado Maior das Forças Armadas dos EUA, alertou que o treinamento de 5.000 é apenas o começo de um longo processo para derrotar militantes do "Estado Islâmico"Cerca de 12.000 a 15.000 combatentes de uma força de oposição apoiada pelo Ocidente serão necessários para retomar áreas do leste da Síria controladas por militantes do pelo grupo. Imagem: Forte.jor.br
Dois dias depois de a presidente Dilma Rousseff criticar os bombardeios dos EUA contra o Estado Islâmico (EI), a responsável por Américas no Departamento de Estado americano, Roberta Jacobson, disse ter “esperança” de que o Brasil contribua de alguma maneira no combate ao grupo radical.
Segundo ela, um país “grande e importante” como o Brasil teria um papel a desempenhar nos esforços liderados por Washington.
Depois de discursar na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, na quarta-feira, Dilma deu entrevista na qual sustentou que o ataque ao Estado Islâmico não era o caminho mais eficaz para derrotar a organização. “Vocês acham que bombardear o Isis (como era conhecido o grupo radical, em sua sigla em inglês) resolve o problema? Porque, se resolvesse, acho que estaria resolvido no Iraque. E o que se tem visto no Iraque é a paralisia”, afirmou, defendendo o uso da “diplomacia” para solucionar o conflito.
Roberta disse ontem (26), em entrevista coletiva, que não tinha informações sobre a apresentação de pedido específico para o Brasil colaborar no combate ao EI. Segundo ela, representantes dos EUA tiveram inúmeros encontros com autoridades de outros países nos últimos três dias em Nova York, durante a Assembleia-Geral da ONU. Mas ressaltou: “Certamente, nós temos esperança de que cada país possa contribuir”.
Dilma criticou o ataque ao EI depois de o presidente Barack Obama ter usado seu discurso na ONU para pedir o engajamento de todos os países da organização na luta contra o grupo terrorista.
Ontem (26), Roberta afirmou que o Brasil poderia “ser útil e dar apoio” em atividades como assistência humanitária, combatentes estrangeiros e área financeira. “Ainda temos esperança em relação a isso.”
FONTE: O Estado de S. Paulo via Forte.jor.br

Nossos Leitores

Agora, São Paulo-SP, Brasil

Publicidade

O Estado de S. Paulo, São Paulo-SP, Brasil


Veja Mais:

O Estado de Minas, Belo Horizonte-MG.

O Globo, Rio de Janeiro-RJ.

Diário do Nordeste, Fortaleza-CE.

Meia Hora, Rio de Janeiro-RJ.

O Dia, Rio de Janeiro-RJ.

O Extra, Rio de Janeiro-RJ.

Di­gite seu e-​mail na caixa acima. Faça seu ca­das­tro em nosso Feed via FeedBurner. Não esqueça de acessar a caixa de entrada do seu e-​mail para confirmar o ca­das­tro.

Clique Aqui para saber mais.